Politicas de privacidad SONDA
Daniela Miranda

Mulheres que transformam

Daniela Miranda

Gerente de Controladoria da SONDA no Brasil

Daniela Miranad é Gerente de Controladoria da SONDA no Brasil. Cursou Processamento de Dados na Faculdade de Administração e Informática em Minas Gerais. Durante nossa conversa, Daniela contou sobre sua trajetória de sucesso e de como tem conseguido trabalhar em equipe para superar os desafios que surgiram na sua vida profissional. Além disso, contou sobre […]

Daniela Miranad é Gerente de Controladoria da SONDA no Brasil. Cursou Processamento de Dados na Faculdade de Administração e Informática em Minas Gerais. Durante nossa conversa, Daniela contou sobre sua trajetória de sucesso e de como tem conseguido trabalhar em equipe para superar os desafios que surgiram na sua vida profissional. Além disso, contou sobre sua infância e a experiência como mãe.

 

 

Desde criança eu gostava de matemática, o que me incentivou a estudar Tecnologia da Informação e Processamento de Dados, também gostei muito da área de controles, onde finalmente acabei trabalhando.

Desenvolvi uma carreira de mais de 20 anos de atuação. Comecei trabalhando com programação de soluções no mundo SAP, o que me permitiu ingressar na Procwork, que foi adquirida pela SONDA em 2007. Depois de um tempo virei coordenadora e logo cheguei ao cargo de gerente de um grupo de mais de 50 pessoas, o que não era muito comum para uma mulher de 30 anos. No entanto, não foi difícil pois sou determinada, direta e empática em comunicar e relacionar-me com quem trabalho.

É difícil trabalhar com um ritmo intenso e exigente e ainda conciliar as tarefas como mãe de um bebê, mas todas as mulheres que conseguiram progredir cumprindo papéis parentais são a prova de que é possível. É muito importante sim, ter o apoio do marido, dos líderes, da empresa e do sistema como um todo. Com meu primeiro filho voltei ao escritório quando ele tinha apenas dois meses de idade, o que foi muito frustrante e difícil, mas com o segundo eu voltei com 6 meses, voltei com mais energia, entusiasmo e compromisso do que nunca.

Gosto de liderar e organizar grupos de trabalho e enfrentar desafios que parecem complexos, além de trabalhar orientado por objetivos muito específicos para avançar de forma constante em cada projeto.

Em todos esses anos percebi que é mais fácil para as mulheres auditar e ser auditada, porque sempre prestamos contas de nossas ações e decisões. Além disso, somos mais pragmáticos na avaliação e mitigação de riscos.

Eu diria às jovens que estão entrando na SONDA que, além da disciplina e paixão pelo que fazem, elas devem ser capazes de fazer alianças com outras mulheres e com suas colegas de trabalho. Assim, poderão fazer ouvir a sua voz para conquistar novos espaços e abrir um leque mais amplo de possibilidades de desenvolvimento dentro da organização e utilizar todo o seu talento para agregar valor.

Contáctanos