Notícias

SONDA atinge receita de US$ 863,7 milhões nos primeiros nove meses de 2018

24/10/2018

23 de outubro de 2018. - A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de Tecnologia da Informação, divulgou os resultados referentes aos primeiros nove meses de 2018.

A empresa registrou uma receita consolidada equivalente a US$ 863,7 milhões e um EBITDA de US$ 94,5 milhões. O lucro líquido alcançou US$ 10,5 milhões e teve seu resultado afetado por um encargo mais alto em impostos como consequência dos efeitos cambiais que totalizaram US$ 14,1 milhões.

A margem EBITDA para o período foi de 10,9%, com destaque para os aumentos nas margens EBITDA no Brasil e em Outros Países da América Latina (OPLA). No caso do Brasil, o EBITDA em moeda local aumentou 23,8% em relação a 2017 e, no OPLA, o aumento foi de 27,1%. Além disso, o OPLA registrou um aumento de 18,2% na receita em moeda comparável.

A depreciação do real brasileiro, do peso mexicano, do peso colombiano e do peso argentino, em relação ao peso chileno, afetou negativamente a conversão dos resultados.

Em termos comerciais, a geração de negócios atingiu US$ 933,5 milhões, sendo o OPLA o destaque, que registrou um aumento de 32,3%. O segmento de Serviços de TI contribuiu com 57,8% dos acordos, com destaque para os que envolvem Outsourcing de TI, que contribuíram com 31,9% do total de geração de negócios.

O pipeline alcançou US$ 3,524 bilhões, destacando-se o crescimento de 32,6% em novas oportunidades de negócios no OPLA e de 47,5% no Chile. 

O diretor geral da SONDA, Raúl Véjar, salientou que "2018 tem sido um ano desafiador, incluindo algumas complexidades, mas os resultados obtidos após uma série de medidas mostram que estamos no caminho correto. No Brasil, vemos sinais positivos e nossa operação está melhorando suas margens e seus resultados trimestre a trimestre. Em relação aos resultados consolidados, vemos melhorias se comparado aos trimestres anteriores. Em particular, sem considerar os efeitos da taxa de câmbio, nesse trimestre alcançamos crescimento de receita em todas as regiões. Esse maior dinamismo reforça nosso otimismo para os próximos trimestres".